terça-feira, 21 de novembro de 2017

Homem e cão, contos imperdíveis

Leonor Duarte de Almeida é médica, doutorada em Bioética e escritora. Recebeu o Prémio Revelação do Instituto Português do Livro e das Bibliotecas em 2002.
Na Parceria editou o romance "Gaivotas em fim de Verão", em 2007. 
Neste regresso, a Autora apresenta uma colectânea de  contos inéditos, com ilustrações de Nuno Correia.
Como refere o prefaciador Mário Cordeiro, a relação entre os humanos e os cães é uma constante da literatura, de Wolf a Mann, passando por Pérez-Reverte, Hemingway, Brandão, Alegre ou O'Neil.
O livro foi lançado na Barata Leya, na Sociedade Portuguesa de Oftalmologia e nos Açores e está, praticamente, esgotado.
Neste livro a Autora partilha muitas histórias, algumas com fundo real, pelas quais perpassa um grande humanismo e um apurado sentido de observação.
A mim, marcou-me sobremaneira o conto "Os sapatos do Frederico", de leitura deliciosa e com uma mensagem tão importante e actual.



 

Volume 5 da Coleção Pessoana - Textos de juventude

A Colecção Pessoana, em formato de livro de bolso, é a mais recente tentativa de aproximação ao que seria a obra completa de Fernando Pessoa, seguindo um critério editorial simples.
Organizada em volumes temáticos com publicação regular, pretende apresentar ao leitor uma vasta selecção de textos de Pessoa, num formato facilmente manuseável e simultaneamente rigoroso.
A organização, comentários e notas estão a cargo de Nuno Hipólito, investigador pessoano  e autor da obra "As mensagens da Mensagem", que vai na sua segunda edição na Parceria.
Este volume 5, Textos de juventude, vai dar-nos a conhecer as raízes da obra Pessoana, revelando as origens mais remotas dos heterónimos já presentes em textos embrionários de um Pessoa entre a África do Sul e Portugal.
Os últimos exemplares podem ser encontrados nas livrarias habituais.
Em preparação está já o volume 6, dedicado ao heterónimo  António Mora.


domingo, 17 de abril de 2016

VOLUME 4 DA COLEÇÃO PESSOANA (ÁLBUM DE FOTOS) CHEGARÁ EM MAIO

Depois do sucesso dos primeiros 3 volumes da Coleção Pessoana, dirigida por Nuno Hipólito, vai chegar aos leitores, em meados de Maio, o Volume 4.
Há muito tempo que não se publica uma fotobiografia do Poeta e a que agora se apresentará aos leitores de Fernando Pessoa é muito cuidada, profusamente ilustrada e com informações amplas e sistematizadas pelo reconhecido investigador pessoano e autor da obra “As Mensagens da Mensagem”, também editada pela Parceria A. M. Pereira.
Álbum de Fotos, introduz-nos à vida de Fernando Pessoa através de fotografias do poeta, familiares, amigos, conhecidos e outras figuras relevantes da sua época, bem como dos espaços por que passaram e onde habitaram. 
Este volume sai fora do mundo estrito de Pessoa e ao mesmo tempo apresenta-nos, em momentos raros, a figura mutável de um homem que era famosamente avesso às imagens. 
Um excerto do livro infra.



A BD DA PARCERIA JÁ É LIDA NO BRASIL

O livro de Miguel Moreira e Catarina Verdier esgotou e estamos a preparar a segunda edição.
Com muita satisfação, tomámos conhecimento que o livro já é lido e tema de interesse no Brasil.
O Alexandre de Paula, a quem ficámos gratos, deu o livro a conhecer aos leitores do Correio Braziliense (de Brasília).
Aqui fica o texto da notícia:



domingo, 21 de fevereiro de 2016

A BANDA DESENHA SOBRE FERNANDO PESSOA NA TimeOut

Graças ao João Morales, o livro em Banda Desenhada sobre Fernando Pessoa chegou à TimeOut que está à venda desde quarta-feira passada.
Uma recensão destacada, generosa e muito merecida, já que os seus Autores porfiaram quase uma década para verem o seu trabalho editado.
Tamanha dedicação e extraordinária perseverança dos Autores, merece mais este destaque.



CHEGOU AO TOP 10 DA BERTRAND!

O livro Fernando Pessoa, Um escritor universal... chegou, merecidamente ao Top 10 da Bertrand do Chiado!
Afinal, os santos da casa fazem milagres! Fernando Pessoa viveu parte da sua infância no Chiado, num edifício em frente ao São Carlos que hoje é sede de prestigiada sociedade de advogados.
Claro que os sinos da sua aldeia eram os sinos da Igreja dos Mártires, bem perto da sua casa em plena Baixa.
Cito Nuno Hipólito, outro autor da casa:
Ele nasce no n.º 4 do Largo de São Carlos, 4.º andar esquerdo, em Lisboa. Nasceu portanto entre um teatro – o Teatro de São Carlos – e uma igreja – a Igreja dos Mártires. Entre uma igreja popular, tipicamente lisboeta e um teatro das elites, o primeiro teatro lírico português, onde se encenavam as grandes óperas, a que muitas vezes o seu pai assistira na condição de crítico para o Diário de Notícias. Para o rapaz, ficarão para sempre marcadas na memória as badaladas do sino daquela igreja do Chiado, num timbre que se misturaria progressivamente com aquele timbre indistinto, apenas reconhecido pela sensação de vaga felicidade e despreocupação. A sua vida de aldeia, que ele refere no poema, é uma vida de idílio despreocupado, em marcado contraste com a vida citadina que o esmaga e preocupa, quando já não mais uma criança, luta contra se tornar um adulto.

Aqui fica um excerto do poema em referência:

Ó sino da minha aldeia,
Dolente na tarde calma,
Cada tua badalada
Soa dentro da minha alma.



terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

O MAIS RECENTE LIVRO DA PARCERIA NA PRIMEIRA PÁGINA DO DN DE HOJE

Não é todos os dias que um livro chega à primeira página do prestigiado Diário de Notícias.
O mais recente livro da Parceria A M Pereira aparece, hoje, com grande destaque, na primeira página e com um artigo do jornalista João Céu e Silva a preencher toda a página 33.
Com a devida vénia, aqui fica um excerto do trabalho do mencionado jornalista:


É a mais recente biografia sobre Fernando Pessoa e também a mais diferente sobre o poeta desde que em 1950 João Gaspar Simões publicou a sua primeira história.Intitulada As Aventuras de Fernando Pessoa, Escritor Universal..., também tem muitas palavras, mas a maior parte da página - por vezes toda - está ocupada por desenhos. E, desta vez, o autor não conviveu com Pessoa, pois só há dez anos é que Miguel Moreira decidiu perceber como seria transformar o poeta em herói de banda desenhada. Dez anos e 163 páginas depois, o álbum que começa com o parto de Pessoa e termina com a sua morte está nas livrarias.Miguel Moreira é o argumentista e desenhador e contou com a colaboração da colorista Catarina Verdier. Dois nomes mais ligados do que se depreende, pois são um casal, como que a imitar um dos autores que Moreira mais aprecia, Frank Miller, que também teve uma altura na sua atividade em que contou com a colaboração estreita de uma colorista num dos seus melhores períodos: "A partir do momento em que se olha para o desenho colorido, percebe-se que a cor tem tanta ou mais importância do que o desenho."


Diário de Notícias